terça-feira, 29 de setembro de 2009

MATÉRIA SOBRE O ROMANCE UM, PUBLICADA NO CORREIO BRAZILIENSE


DEBATE COM FANTASMAS » Romance de Geraldo Lima narra as evocações da relação de um personagem com as suas amantes


Lúcio Flávio
Publicação: 29/09/2009


Premiado em vários concursos literários, o escritor Geraldo Lima está com romance novo na praça. Um, lançamento da LGE Editora, envolve o leitor nos dramas pessoais do personagem Paulo, um ex-seminarista divido entre os perigosos e ambíguos caminhos do desejo carnal e a vocação espiritual. Com narrativa fulminante, moderna, que percorre um curto período da trajetória do protagonista, a obra explora questões como solidão e as dificuldades de relacionamento no mundo atual a partir do viés místico. “Um não é livro religioso ou de autoajuda, o foco está na crise existencial e religiosa vivida pelo personagem. Mas recorro a esses assuntos para dramatizar a narrativa”, esclarece.

O título, simples e sintético, convida o leitor para inúmeras interpretações. O autor não esconde que trabalhou essa intenção na hora de dar um nome à obra. “Pensei em todas essas possibilidades, mas isso não é o mais importante. Há quem faça associação à cabala, já que ali o número um representa a figura de Deus. Mas o título também passa a ideia de unidade na busca do personagem”, comenta.

Ao longo da trama, dissolvida dentro de convulsivo espaço-tempo, Paulo se debate com seus fantasmas do passado, materializados em relações amorosas conflituosas com duas mulheres, Ana e sua quase-amante Ariadne. As reminiscências pavimentam sua estrada para uma espécie de inferno da alma. No outro extremo, quase que num estado de torpor, delírio, as certezas perdidas de seus tempos de seminarista o colocam à prova de hipotética presença divina. “Tenho um estilo que mescla prosa e poesia dentro de uma estrutura narrativa não linear. Mas isso não dificulta de maneira alguma a leitura ou a compreensão do livro”, explica.

Autor de dois livros de contos, A noite dos vagalumes e Baque, além do infantil Nuvem muda a todo instante, Geraldo Lima também se aventura em textos teatrais. Um dos destaques da mostra de dramaturgia, que ocorre em dezembro, na Sala Cássia Eller, do Espaço Funarte, ele explica que, apesar de linguagens diferentes, uma área sempre caba interferindo na outra. “Escrever para o teatro aprimora a construção dos diálogos, isso ajuda na hora de escrever prosa”, compara.




UM
De Geraldo Lima. LGE Editora. 115 páginas. R$ 37.