sexta-feira, 13 de novembro de 2009

AGORA É A VEZ DO TEATRO: LEITURA DRAMÁTICA DA MINHA PEÇA"TRINTA GATOS E UM CÃO ENVENENADO".




A Mostra de Dramaturgia de Brasília, idealizada e produzida por Paula Braga em 2004, realizada no Complexo Cultural da Funarte, marcou decisivamente o nascimento de uma parceria que, de lá pra cá, vem acompanhando o desabrochar de um projeto que se firma a cada edição.

Em 2009, será apresentada a V Edição, que, sem dúvida nenhuma, é fortalecida pela certeza de trilhar um caminho de responsabilidade em estimular o surgimento de uma dramaturgia com a identidade de Brasília, como também no despertar da platéia a usar a criatividade e o imaginário.

É com grande alegria que a Sala Cássia Eller receberá, em dezembro, novas leituras dramáticas com autores e diretores da cidade, aumentando a fileira de novas propostas artísticas.

Julia Guedes
Assessora de Artes Cênicas
Funarte
DF
Dia 08 de dezembro
Terça
Sala Cássia Eller às 20:00 h

TRINTA GATOS E
UM CÃO ENVENENADO

Sinopse: Trata-se de uma tragédia familiar, envolvendo o abuso sexual de uma criança e a vingança colocada em prática por ela na juventude. A linguagem procura revelar o universo cultural dos personagens, mas sem abrir mão, em algumas passagens, do poético e do onírico. O espaço é único: uma casa simples, de classe média baixa.

Dramaturgia: Geraldo Lima

Direção: Eduardo Suindara
Elenco: Vanessa Di Farias, Pecê Sanváz, Danilo Lins e Eloisa Galeão
MEDIAÇAO: Adriana Mariz



De 05 a 09 de dezembro no Complexo Cultural Funarte
(Atrás da Torre de TV)
Bate-papo ao final da leituras
Sempre às 20:00 horas

Entrada Franca

Classificação indicativa:
16 anos

Idealização e Produção:
Paula Braga Zacharias
Cláudio Scafuto Filho

Assessoria de Comunicação:
Rodrigo Machado

Logomarca campeã da Mostra de Dramaturgia de Brasília:
Marcos Hartwich

Programação Visual:
Leopoldo Nogueira e Silva



Para acessar a programação completa: mostradedramaturgiadebrasilia.blogspot.com

terça-feira, 3 de novembro de 2009

UHURU



Uhuru é o novo livro do escritor brasiliense  Alexandre Lobão. O livro tem como público-alvo a garotada, mas pode muito bem ser lido pelos adultos. Narrada em dois tempos, passado e presente, trata-se de uma história de bravura e de amor, tendo como protagonistas Uhuru, um menino negro da periferia, e seu ancestral Muzamba, que vem para o Brasil, como é de se imaginar, como escravo. Muzamba conquista, com determinação e luta, a sua liberdade , e Uhuru, no presente, o orgulho de pertencer à linhagem de um herói. É, em suma, uma boa história que pode levantar a autoestima de muito adolescente negro.