quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Oito nanocontos da Série Lascas



Por Geraldo Lima

Queria viver um amor de novela, profundo, intenso, mas não deu. O amante era raso, avesso a fantasias.

***

Disse que não, que gritaria, mas depois gemeu, chamando-o de meu amor.

***

Já estava deitado quando ela chegou, tarde, esbarrando nos móveis e tateando no escuro em busca do banheiro.

***
Arrastou-se até sair da lama. Ia morrer, mas com dignidade.

***

O amor finou-se numa manhã de inverno. Seca, fria, ela negou-lhe um beijo.

***

Depois do quinto copo, esqueceu os sermões do pastor: subiu na mesa e dançou como uma stripper. 

***

A fumaça do incenso forma galáxias no centro da sala. É o fim, ele sabe. Ana cruza esse universo e evapora-se sem dizer adeus.

***

Desde a infância carregava aquele corpo inexpressivo, carente de carne e força. Doenças e vagar a ermo alimentavam-se do seu ser.


Esses nanocontos foram publicados, originalmente, no Twitter. Alguns foram publicados no Facebook, no site O BULE   e no Jornal Opção.

2 comentários:

  1. Geraldo, frases redondas, tese/antítese e síntese - perfeito!
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Cyntia, pelo comentário. Valeu mesmo.

    ResponderExcluir